Bon Jovi lota Morumbi em quase três horas de show

Com previsão de receber 68 mil pessoas, o Estádio do Morumbi, em São Paulo, ficou lotado na noite desta quarta-feira para curtir a apresentação da banda Bon Jovi, que voltou ao Brasil após 15 anos. Depois de enfrentar a abertura da banda gaúcha Fresno, que chegou a ser vaiada diversas vezes durante seu show, os seguidores do grupo de Nova Jersey finalmente foram ao delírio por volta das 21h20, quando o palco foi tomado durante 2h50 de hits infalíveis para públicos em grandes arenas.

Com sucessos de sobra em sua carreira, montar um setlist empolgante para seus fãs não é das tarefas mais árduas para o grupo. Horas antes do show, em entrevista coletiva, Jon Bon Jovi disse que “não sabia qual seria o repertório”. Na realidade, já tinha uma ideia bem próxima, já que o show de São Paulo contou praticamente com a mesma sequência da apresentação em Buenos Aires, com alterações mínimas.

Logo de cara, o músico tocou Blood on Blood, We Weren’t Born to Follow e You Give Love a Bad Name, esta última cantada em coro pelo estádio. O cantor gritou ao microfone: “Vocês estão comigo nesta noite? Me mostrem o seu melhor”, no estilo mais tradicional do rock de arena que consagrou a banda.

“São Paulo, é muito bom voltar aqui. Faz muito tempo que não tocamos no Brasil. Vendo essa recepção de vocês, não faço ideia do porquê. Nós deveríamos fazer shows aqui todos os anos”, disse o cantor, arrancando gritos ensurdecedores. Com esta primeira etapa voltada para os hits mais recentes, Bon Jovi empolgou com seu setlist, mas não tanto comparado com o que estaria por vir.

Os repertório programado pelos americanos incluiu Born to Be My Baby, In These Arms, Runaway, It’s My Life e Bad Medicine, esta última que ganhou um “improviso” de Pretty Woman, de Roy Orbinson.

Com esta quantidade de hits, é impossível descrever a quantidade de lágrimas derrubadas pelas fãs espremidas nas grades que separavam a pista normal da área VIP. Com faixas, camisetas, cartazes e máquinas fotográficas ininterruptas, as seguidoras de Jon Bon Jovi não paravam, mostrando que o galã segue fazendo sucesso, mesmo aos seus 48 anos.

Falando na idade, o roqueiro segue empolgado no palco, dando seus pulinhos, apontando para fãs e sempre trocando olhares com a primeira fileira quando pode. Por outro lado, é evidente que o vocalista evita boa parte dos agudos registrados nos anos 80 e 90. No entanto, isso não incomodou ninguém, sobrando inclusive algumas frases para serem cantadas pela plateia.

Quem também teve sua vez no microfone foi o guitarrista Richie Sambora. O músico assumiu os vocais em Lay Your Hands on Me. Neste momento, a imagem de um vitral toma conta do grande telão que fica atrás da banda. “Sei que hoje não é domingo, mas vou levar todos vocês para a igreja”, brincou Sambora.

Depois disso, Jon retomou o microfone para outra sequência arrebatadora de sucessos. Always, Blaze of Glory e I’ll Be There For You. Desnecessário dizer que os gritos se tornaram cada vez mais ensurdecedores, talvez em função do som no estádio, um pouco mais baixo que o usual para shows desse porte. Em Always, o coro do tradicional refrão inundou o estádio. Só não cantou quem aproveitou o momento romântico para trocar beijos.

Para se “despedir”, banda escolheu Keep the Faith. Com as luzes do estádio ainda apagadas, poucos se movimentavam pois já esperavam pelo bis, que não deve ter decepcionado ninguém.

Munido de seu violão, Jon Bon Jovi retornou ao palco ovacionado. Para abrir o bis, These Days. Com a quantidade de hits já tocadas no setlist, o público já sabia o que esperar. A banda emendou Wanted Dead or Alive, Someday I’ll Be Saturday Night e Livin’ On a Prayer, que teve seu refrão entoado pelo público antes do bis. “Vocês não conseguem esperar, não é?”, brincou o roqueiro.

Teatro

Depois do final apoteótico de Livin’ On a Prayer, Jon novamente foi ao microfone para se despedir. Ovacionado mais uma vez pelos fãs, o músico ficou parado, estático, observando a reação de seus seguidores.

Comovido pelos aplausos, assobios e gritos incessantes, o vocalista “convocou uma reunião” com sua banda. Depois de alguns minutos conversando com os integrantes, Jon disse que tocariam mais uma música.

Passado o pequeno “teatro”, os músicos retomaram seus postos para Bed of Roses, promovendo outro momento emocionante para os fãs do grupo. Desta vez, enquanto a banda ainda tocava, Jon deixou o palco silenciosamente e se despediu dos brasileiros acenando para o público pra lá de satisfeito.

Confira o setlist completo:
1.Blood on Blood
2.We Weren’t Born to Follow
3.You Give Love A Bad Name
4.Born To Be My Baby
5.Lost Highway
6.Superman Tonight
7.In These Arms
8.Captain Crash & The Beauty Queen From Mars
9.When We Were Beautiful
10.Runaway
11.We Got It Going On
12.It’s My Life
13.Bad Medicine
14.Lay Your Hands on Me
15.Always
16.Blaze of Glory
17.I’ll Be There For You
18.Have a Nice Day
19.I’ll Sleep When I’m Dead
20.Work for the Working Man
21.Who Says You Can’t Go Home
22.Keep The Faith

Bis
23.These Days 24.Wanted Dead Or Alive
25.Someday I’ll Be Saturday Night
26.Living On a Prayer
27.Bed of Roses

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s