Faith No More faz show com ares de anos 90 em Porto Alegre

O número de pessoas presentes no evento não era dos maiores. Nada que se compare à quantidade de fãs que têm lotado os shows do Faith No More nos festivais por onde a banda tem se apresentado na Europa. Mas o público que ocupou apenas metade da pista do Pepsi On Stage, em Porto Alegre, enfrentou a ressaca pós-feriado e a chuva que caiu sobre a cidade na noite dessa terça-feira (3) para assistir a um revival dos bons.

Se no início dos anos 2000 a moda era revisitar os anos 1980, seja na moda, na música ou no comportamento, o retorno do Faith No More após 11 de intervalo não marca apenas a volta aos palcos de das principais bandas da década passada. O retorno dos americanos que misturam funk, metal e até rap demonstra uma nova tendência: é hora de saldar os anos 1990.

Mike Patton e sua trupe desembarcaram em Porto Alegre para um show animado que chacoalhou o público com hits como Epic, do álbum The Real Thing, de 1989, e uma das músicas mais tocadas nas paradas dos rádios de 1992, Easy, do álbum Angel Dust.

A banda subiu ao palco às 22h50 com Midnight Cowboy, tema do filme Perdidos na Noite (1969), que foi regravada no álbum Angel Dust, e rapidamente saldou o público com diversas – diversas e incansáveis! – frases em português. O vocalista Mike Patton foi simpático e soltou diversos palavrões durante a apresentação, assim como o tecladista Roddy Bottum. Os dois integrantes mais comunicativos do grupo foram os únicos a se dirigir ao público.

Como prova de que são uma espécie de primos mais velhos do new metal, o Faith No More fez um show pesado, com direito à bateria marcada, solos gritantes de guitarra e baixo deliciosamente funkeado.

Patton, que estava levemente comportado, deu um show à parte com seus vocais vigorosos e falsetes afinados. No fim do show, pulou de costas sobre a plateia ¿ para delírio e inveja do público, afinal, qual fã de rock nunca sonhou em “dar um mosh” do alto de um palco?

Para alegria dos gaúchos presentes, após o fim da apresentação, a banda ainda retornou três vezes ao palco – na última delas pegando o público, que já se retirava do local, de surpresa – e encerrou o primeiro show da turnê brasileira com We Care a Lot, do álbum de mesmo nome lançado em 1985.

O Faith No More ainda toca no Rio de Janeiro no dia 5, em São Paulo no dia 7 e em Belo Horizonte no dia 8.

Ponto alto: Mike Patton cantando Caralho Voador – música que tem um trecho da letra em português – e exibindo todo o seu talento como vocalista versátil e afinado.

Poderia ter sido melhor: a iluminação utilizada no show. Por diversas vezes, a luz usada para iluminar o público era tão forte que quase cegava a plateia.

Clique aqui para assistir easy na turnê atual.

 

Faith No More is show with the air of 90 years in Porto Alegre

The number of people attending the event was not the greatest. Nothing compares to the amount of fans who have packed the shows of Faith No More at festivals where the band has performed in Europe. But the audience that occupied half of the runway at Pepsi On Stage, Porto Alegre, faced the post-holiday hangover and the rain that fell on the city at night this Tuesday (3) to see a revival of the good.

If in the early 2000s the fashion was to revisit the 1980s, is in fashion, music or behavior, the return of Faith No More 11 after an interval of not only marks the return to the stage of the leading bands of the past decade. The return of Americans who blend funk, metal and even rap shows a new trend: it’s time to pay off the 1990s.

Mike Patton and his entourage landed in Porto Alegre for an animated show that rocked the audience with hits such as Epic, the album The Real Thing, 1989, and one of the most played songs on the charts of radio stations in 1992, Easy, the album Angel Dust .

The band took the stage at 22.50 with Midnight Cowboy, Movie Theme Midnight Cowboy (1969), which was re-recorded the album Angel Dust, and quickly paid off the public with diverse – diverse and tireless! – Phrases in Portuguese. Lead singer Mike Patton was nice and gave several expletives during the presentation, as well as keyboardist Roddy Bottum. The two more communicative members of the group were the only ones to address the public.

As proof that they are a kind of older cousins of new metal, Faith No More was a heavy show, with the right battery checked, screaming guitar solos and low deliciously funky.

Patton, who was slightly behaved, took a leading part with their strong vocals and falsetto tune. At the end of the show, jumped back on the audience ¿to the delight and envy of the public, after all, what rock fan has not dreamed of “giving a mosh” from above the stage?

To the delight of the gauchos present, after the end of the gig, the band has returned to the stage three times – the last one taking the public, which was retreating from the place of surprise – and ended the first show of the Brazilian tour with the We Care Lot, the album of the same name released in 1985.

The Faith No More still playing in Rio de Janeiro on 5, in Sao Paulo on 7 and Belo Horizonte on 8.

High Point: Mike Patton singing Shit Flying – music that has an excerpt of the letter in Portuguese – and displaying all his talent as a versatile singer and tuned.

It could have been better: the lighting used in the show. Several times, the light used to illuminate the public was so strong that nearly blinded the audience.

Click here to watch the tour on easy.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s