Senador Ted Kennedy morre aos 77 e encerra saga política

O senador americano Edward “Ted” Kennedy faleceu na noite de terça-feira, vítima de um câncer cerebral aos 77 anos, após uma longa carreira em defesa da educação e da saúde, anunciou a família, um fato que encerra uma saga que dominou a política dos Estados Unidos desde os anos 1960.

“Edward M. Kennedy, o marido, pai, avô, irmão, tio que amamos tão profundamente, morreu no fim da noite de terça-feira em casa em Hyannis Port, Massachussetts”, afirma um comunicado da família.

“Perdemos o centro insubstituível de nossa família e uma alegre luz em nossas vidas, mas a inspiração de sua fé, otimismo e perseverança viverá em nossos corações para sempre”.

A morte de Ted Kennedy encerra uma era da política americana, na qual sua família parecia predestinada a governar.

“Agradecemos a todos os que cuidaram dele e o apoiaram no último ano e a todos os que estiveram junto dele durante tantos anos na incansável marcha para o progresso por meio da justiça, igualdade e oportunidades para todos. Amava seu país e dedicou sua vida a servi-lo”, completa a nota da família.

O presidente americano, Barack Obama, e sua esposa Michelle se declararam “inconsoláveis” com a morte do senador democrata.

“Michelle e eu ficamos inconsoláveis quando soubemos esta manhã da morte de nosso querido amigo, o senador Ted Kennedy”, afirmou o presidente, que está de férias no balneário de Martha’s Vineyard, no Estado de Massachusetts.

“Acabou um importante capítulo de nossa história. Nosso país perdeu um grande líder, que recuperou a tocha de seus irmãos falecidos e se transformou no maior senador americano de nossa época”, completou.

Ted Kennedy faleceu perto do local onde os Obama passam férias. O senador apoiou Obama durante a campanha eleitoral do ano passado e compareceu à convenção democrata em Denver há 12 meses, apesar da doença, para pedir votos àquele que se tornou o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

O chamado “leão liberal” do Senado americano era o mais novo dos nove irmãos Kennedy, que incluíam o presidente John F. Kennedy, assassinado em 1963, e o senador Robert Kennedy, assassinado durante a campanha pela indicação presidencial democrata de 1968.

“Teddy” foi o único dos irmãos homens do clã Kennedy que não morreu violentamente. O irmão mais velho, Joseph, piloto, morreu durante a Segunda Guerra Mundial em um acidente aéreo.

Mas Ted Kennedy nunca alcançou o que muitos consideravam seu destino: a presidência.

Ele perdeu a indicação democrata para o então presidente Jimmy Carter em 1980, mas sua vida já estava marcado por uma série de escândalos.

Em 1969 perdeu o controle do carro e caiu de uma ponte de Chappaquiddick, Massachusetts, em um acidente no qual morreu sua secretária, Mary Jo Kopechne.

O escândalo se agravou quando foi noticiado que Kennedy nadou para se afastar do veículo, abandonando Kopechne, e só alertou as autoridades um dia depois. Mas o então jovem senador recebeu apenas uma sentença com sursis de dois meses e obteve uma reeleição fácil para o Senado.

Kennedy lutou durante toda a carreira política por uma reforma do sistema de saúde nos Estados Unidos. “Esta é a causa da minha vida”, declarou durante a convenção democrata de 2008.

“O trabalho começa outra vez. A esperança se eleva outra vez. E o sonho vive”, declarou Kennedy na ocasião.

Consciente dos graves problemas de saúde e um guerreiro político até o fim, Kennedy pediu em julho ao governador e aos legisladores de Massachusetts, em uma carta divulgada há poucos dias, a modificação da lei em vigor para poder substituir rapidamente uma cadeira vaga em Washington.

O Senado é atualmente cenário de uma árdua batalha política sobre o projeto de reforma do seguro de saúde propuesto pelo presidente Obama.

O pedido de Kennedy pretendia não deixar a bancada democrata com menos homens por muito tempo na batalha em caso de vacância.

Em 1962, Edward Kennedy foi eleito para o Senado no liberal estado de Massachusetts, cadeira deixada vaga pelo irmão John ao ser eleito presidente.

Ele ganhou uma reputação de congressista agressivo em causas como migração, direito ao voto, a reforma da saúde e o controle de armamentos.

No início de agosto, em consequência dos problemas de saúde, ele não pôde comparecer ao enterro da irmã Eunice em Massachusetts.

Eunice Kennedy Shriver, fundadora dos Jogos Olímpicos Especiais, faleceu em 11 de agosto em Massachusetts, aos 88 anos.

Edward e Eunice Kennedy, assim como outros seis irmãos falecidos, serão recordados como membros de uma família que cumpre o papel de uma espécie de aristocracia para os americanos.

A única que sobrevive é Jean, que foi embaixador na Irlanda entre 1993 e 1998, atualmente com 81 anos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s